Extrovertida, amorosa e idealista: quem era a professora universitária morta em acidente na RS-324

Notícias e Comentários do Locutor de Rádio

As festas de fim de ano foram praticamente uma despedida da família com Josiane da Silveira Koswoski — ou Josie, como era conhecida pelos amigos. Além dos pais, Julio e Jurealda, e da irmã do meio, Joriane, com quem morava em Passo Fundo, a professora universitária de 39 anos recebeu a visita da irmã mais nova, Juliane, que veio de Curitiba para brindar a chegada de 2020.

— Passamos todos juntos no Natal. Foi maravilhoso — revelou Joriane, muito emocionada

Na manhã desta sexta-feira (10), Josiane morreu em um acidente na RS-324, que envolveu três carros e deixou mais cinco pessoas feridas. Professora de Arquitetura da Universidade de Passo Fundo (UPF), ela também era sócio-proprietária da empresa Arq Spazzio Plotagens.

— Nós eramos muito grudadas, desde que eu nasci. Éramos muito unidas. Agora não sei o que vai acontecer. Ainda não caiu a ficha — disse a irmã. — Ela era muito inteligente. Agora ia entrar no doutorado. Era muito amorosa. Sempre ajudava a família — complementou.

Além dos familiares, a notícia também abalou os colegas de profissão. Um dos mais emocionados era Juan Mascaró, também professor da UPF. 

— Acabei de perder uma colega e amiga — disse ele, por telefone — Era muito idealista, e uma pessoa de muito coração. Nunca teve atritos pessoais com ninguém, o que eu descreveria como uma diferencial. Ela sempre preferia se afastar e adotar o silêncio do que bater de frente com algum colega — descreveu.

Cerca de 20 anos mais velho, Mascaró era uma das pessoas a quem Josiane recorria nos últimos anos para ouvir conselhos.

— Fui professor dela e depois acabamos trabalhando juntos. Eu me sentia meio como um “paizão” dela, porque tínhamos uma diferença de idade, e ela me procurava muito para se aconselhar sobre a vida pessoal e profissional quando passou por um momento de incertezas — relatou ele.

Veja Mais:  Lei do Gás é sancionada, mas promessa de redução de preços ainda levará tempo

Situação semelhante também foi vivida pelo coordenador da Faculdade de Engenharia e Arquitetura (Fear), Carlos Leonardo Sgari Szilagyi. Ambos realizaram o mestrado juntos em 2012, quando ela ingressou no quadro docente da universidade.

— Ela sonhava em fazer doutorado. Era uma pessoa extrovertida, sempre muito prestativa. Queria sempre inovar. Às vezes, tínhamos até que frear ela. Até por ser muito nova, era cheia de sonhos — comentou o professor Carlos Leonardo.

As cerimônias de despedida de Josiane serão realizadas no Crematório e Cemitério Memorial da Paz, em Passo Fundo.

*Zerohora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.