Sobe para 69 o número de mortos em onda de frio nos EUA

Notícias e Comentários do Locutor de Rádio

O número de mortos pela onda de frio que afeta os Estados Unidos subiu para 69, segundo balanço mais recente divulgado pela imprensa norte-americana.  As tempestades de neve atingem uma área que se estende do sul, no Texas, até o norte do país, no Estado de Ohio. Pelo caminho, as temperaturas congelantes deixam um rastro de sofrimento. 

Os americanos estão morrendo de intoxicação por monóxido de carbono, acidentes de carro, afogamentos, incêndios em casas e hipotermia. Em muitos casos, a tempestade mata de maneira indireta, já que muitos hospitais sofrem com cortes de energia e escassez de água, tornando difícil o atendimento aos pacientes.

Durante a semana, no auge da onda de frio, cerca de 4 milhões de texanos ficaram sem energia no momento em que as temperaturas despencavam. Cerca de 165 mil ainda permanecem sem eletricidade e milhões estivessem sem água corrente — a falta de energia interrompeu o tratamento de água e, em muitos lugares, o frio estourou as tubulações.

A crise no Texas foi exacerbada pela pobreza, pelo desespero e, em alguns casos, pela falta de hábito com o frio. Em apenas três dias, hospitais do Estado registraram mais de 700 internações relacionadas à intoxicação por monóxido de carbono. Thayer Smith, chefe do Corpo de Bombeiros de Austin, disse que a exposição tóxica, na maioria dos casos, é provocada por pessoas que queimam carvão dentro de casa.

O frio também prejudicou o ritmo da vacinação em todo o país. Na sexta-feira (19), a Casa Branca disse que a entrega de 6 milhões de doses foi suspensas em razão da temperatura, o que afetou todos os Estados americanos. 

Especialistas disseram que esta é a massa de ar mais fria dos últimos 30 anos nos EUA. Cientistas acreditam que a onda de frio seja um fenômeno ligado ao aquecimento global, que enfraquece a capacidade do vórtice polar de reter as massas de ar frio. Cada vez mais frequentemente, os ventos gelados “escapam” e se espalham por regiões localizadas ao Sul da área polar, causando distorções na temperatura.

Veja Mais:  Se STF autorizar, tenho plano pronto para pandemia, diz Bolsonaro

*GauchaZH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.